26/07/2013

Lua Azul - Alyson Noël

Tal como aconteceu com o primeiro volume desta série, Os Imortais, este foi lido devido ao facto de eu não ter mais nada para ler, já que não consegui trazer para casa aquilo que comprei na feira do livro. O primeiro volume não me conseguiu abrir o apetite para este segundo, uma vez que terminou com um típico final feliz que podia perfeitamente ter dado um final definitivo à série...que, se assim fosse, não se tornaria numa série. Na verdade, fiquei sem saber o que é que a autora poderia inventar para que isto se tornasse, de facto, numa série, já que tudo tinha acabado bem.
No entanto, acabei por ser surpreendida pela positiva.
Depois de Ever ter descoberto que era uma imortal, tal como o namorado, Damen, e depois de muito amor e lamechices, eis que as coisas começam a complicar - e a tornarem-se interessantes. Damen adoece sem razão aparente e Ever anda como que desesperada para tentar achar uma cura. Como se a doença não lhe bastasse, a sua memória começa a ser afectada, fazendo com que nem se lembre da pobre da namorada nem de tudo aquilo por que passaram juntos. Para além disto, Ever vê-se confrontada com a hipótese de voltar atrás no tempo e salvar a sua família do acidente que a matou. Vê-se na posição de escolher ou a família, ou o namorado.
E a escolha dela surpreendeu-me. Quer dizer, quem diria?
E o melhor foi que as coisas não se resolveram de rajada. As viagens a Summerland - dimensão que continua a fascinar-me -, na busca de conhecimentos para a descoberta de uma cura para a doença, intercalavam com episódios de estudante de liceu normal, onde já todos os alunos haviam sofrido uma espécie de lavagem cerebral e comportavam-se de maneira bastante estranha uns com os outros e deixavam a protagonista de parte.
No entanto, há sempre um ou outro aspecto negativo a apontar.
Mais sorte que juízo. Começo a crer que isto é característico da personagem principal. No outro volume, o desaparecimento da vilã foi assim. Neste, o modo que ela usou para fazer com que a escola voltasse ao normal - ou seja, que os alunos voltassem a andar em grupinhos, em vez de todos amiguinhos uns dos outros, e que os amigos da protagonista voltassem a agir normalmente com ela, ao invés de a chamarem de anormal como todos os outros - também foi assim. Ela não sabia o que estava a fazer - outra vez. Foi sorte. Foi por tentativas. Foi...estranho. Não achei grande piada à cena.
Passar dos livros que tinha lido até agora para este foi uma espécie de choque. Choque devido à forma como aqueles e este estão escritos. Li este bem mais rapidamente devido à linguagem. Não só é mais acessível, o que é bom, é certo, como é também mais infantil. Uma escrita tipicamente adolescente à qual confesso que já não estava habituada - a escrita na primeira pessoa, as frases mais curtas, os poucos detalhes. E o facto de a narração ser feita no presente também me dá comichão. Porque, sei lá, no presente? É esquisito. Acho que, antes disto, nunca tinha lido nada assim.
No entanto, apesar de tudo, aconteceu aquilo que eu queria: uma reviravolta. E das grandes! Que, ao contrário do que aconteceu com o volume anterior, fez-me ter vontade de ler o seguinte. É que não estava nada à espera daquilo, e, agora, estou mortinha para ver o que acontece. E como se vão safar desta.
É verdade que os livros que comprei na feira não tardam a invadir o meu quarto, mas acho que vão ter que esperar mais algum tempinho até serem abertos, porque eu não vou descansar até saber o que se vai passar no terceiro volume desta série.

8 comentários:

  1. Parece interessante, não li nenhum :) *

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho um Fogo Negro e um Terra Sombria a mais para vender, se estiveres interessada ;)
    E concordo contigo realmente as coisas tornam-se um pouco mais interessantes no segundo apesar de eu continuar a achar que a história não agarra muito o leitor...

    ResponderEliminar
  3. Eu tenho esse livro e nunca o li!
    Faz parte de uma coleção tipo trilogia? Foi oferecido mas tenho muitos para ler!
    R: Quanto áos 50 tons de cinza concordo contigo é vulgar e não ensina nada já li um bocado do 1º nao gostei!
    E tal como tu perco o interesse assim pelas coisas tão vulgares!
    Entra se na livraria e é só disso!

    ResponderEliminar
  4. Desta colecção apenas li os três primeiros e fartei-me. Como já só me falta comprar os outros três, irei fazê-lo mas não por agora. A autora conseguiu aborrecer-me imenso no terceiro...

    ResponderEliminar