09/06/2013

Bailes de finalistas


Na minha terra não se ouve falar em bailes de finalistas. Em viagens de finalistas, sim, mas, em bailes, não. Por isso, não fazia a mínima ideia de que tal coisa se realizasse noutros pontos do país. Parece que tive que cair na blogosfera para saber que esta não é uma tradição exclusiva dos Estados Unidos.
Mas, se tivesse havido um baile na minha escola, teria sido tão estranho...
Eu não sou pessoa desse tipo de festas. Gosto de ver as raparigas todas bonitas e arranjadas como se fossem princesas, mas daí até eu vir a ser uma dessas raparigas vai um grande passo. Usar um vestido todo pipi não seria um problema. Seria, antes, o resto. Nunca andei de saltos altos na vida, por exemplo. A única coisa que faço ao meu cabelo é penteá-lo; não há cá penteados, alisamentos ou fazer caracóis. E teria que usar maquilhagem? Argh, é que nem pensar.
Sim, a vestimenta é sempre um grande travão no meu caso, e esta é uma das razões pelas quais nunca fui a nenhum baile de qualquer tipo - isto e o facto de não saber o que fazer enquanto lá estivesse, porque danças não é o meu forte; aliás, para uma música me pôr a mexer, tem que ser boa, e o bom para mim não costuma ser o que é bom para os outros, para além de que o "mexer", no meu caso, não é uma coisa digna de se ver, e é por isso que só me solto quando vou a concertos em que está tudo escuro e em que ninguém me conhece ou pode ver a minha figura.
No entanto, há uma razão mais forte do que esta para achar que um baile na minha escola seria estranho. A minha turma do décimo-segundo ano não significava nada para mim, e, à medida que os dias passavam, ficava cada vez mais cansada daquela gente. As amigas que tinha já não estavam comigo; tinham mudado todas de escola e de área, pelo que tinham ido para outra turma. Só me restava uma ali, mas nem tínhamos as aulas todas juntas. O meu namorado já não estava na escola. Foi, então, nesse ano que comecei a sentir-me mais só. E foi também por esta razão que nem quis ir na viagem de finalistas. Estava, até, inquieta para que o ano acabasse para poder ir-me embora e ver-me livre daquelas pessoas que nada eram para mim, a não ser uns simples colegas com os quais não me dava ao trabalho de trocar palavras. Apesar de estar ciente de que a universidade seria bem pior em termos de trabalho e de estudo, estava ansiosa por um recomeço. Foi por isso que nem vacilei em relação ao facto de deixar aquela ilha.

8 comentários:

  1. não sei se é porque não tenhas ouvido falar nos bailes de finalistas, se na verdade esse pensamento ruma assim devido ao teu relacionamento com a tua turma ou se o meu baile é que foi especial, mas encontro várias diferenças.

    Porém, o meu secundário foi o completo oposto do teu: só fui feliz quando me mudei de escola e percebi que existiam pessoas decentes, fui ter com o meu namorado e amigos. Mas o nosso baile de finalistas foi algo super, super informal. Yah, íamos todos aperaltados (ou nem por isso), mas foi mais uma espécie de despedida social. Acho que se tivesse ficado na mesma escola secundária, ia sentir o mesmo que tu..

    Beijinhos (:

    ResponderEliminar
  2. Eu só do Nicholas, comprei 9 este ano, ao todo comprei 13 livros, mas 2 que tive de oferta! Adorei!
    Sim, aqui há muitas escolas que organizam bailes, eu próprio fui organizador da minha! *

    ResponderEliminar
  3. Na minha houve viagem e baile mas identificava-te tanto com a turma que não fui. Ganhar um dinheirão para estar com pessoas com quem não me identificava e que só pensam em beber e sair à noite não é para mim. Não fui e não me arrependo.

    ResponderEliminar
  4. tens razão, mas quando as pessoas estão mal, só vêm o mal, não vêm as coisas boas..o amor tem destas coisas :)
    o meu foi no sábado e também não fui, apesar de sempre querer ir porque é sempre mais uma experiência, pois era muito caro e nem foi a turma toda, logo não valia a pena ir também.

    ResponderEliminar
  5. Bem, eu, ao contrário de ti, dou-me lindamente com a minha turma e, como não fui à Viagem de Finalistas, fui ao Baile.
    E quanto à maquilhagem e aos penteados, não me irritei com nada disso. Sim, fui ao cabeleireiro, mas fiz uns caracóis super simples a um óptimo preço xD
    E maquilhagem? Nem vê-la. Creme hifratante e lipbalm, para hidratar os lábios.
    E os saltos altos nem pensar que foram um problema, serviram apenas para tirar fotografias, pois não sou fã e, na verdade, as minhas sabrinas, bem guardadas na mala, foram as minhas melhoras amigas.
    Resumidamente, o Baile é apenas um momento de diversão e convivência, onde cada um se apresenta como melhor se sente. Sem pressões, por assim dizer.
    Beijos,
    Valentina de Andrade

    ResponderEliminar
  6. hehe, todos sonhamos com esse baile :)

    ResponderEliminar
  7. lol, eu não sonhei; como disse, nem se falava disso na minha escola...

    ResponderEliminar