06/10/2016

Ao meu primeiro namorado - que eu achei que seria o único

Não vou escrever um texto sobre como nos conhecemos. Nem sobre tudo o que vivemos durante estes sete anos e meio, sobre as prespectivas de futuro que tínhamos e que não se realizaram ou sobre o modo como as coisas poderiam ter sido. Nem sequer vou escrever sobre os motivos que me levaram a achar que este seria o melhor desfecho, tanto para mim, como para ti também. Não, não vou escrever sobre nada disto. Só te quero dizer Obrigada.
Obrigada por teres gostado de mim como sou. Obrigada por me teres feito sentir amada e especial. Obrigada por teres sido o meu primeiro melhor amigo, o meu primeiro beijo e o meu primeiro namorado. Obrigada por todo o apoio que me deste ao longo deste tempo, por toda a paciência que tiveste para mim, por toda a compreensão que revelaste. Obrigada por todos os mimos e pela melhor surpresa que me fizeste - apareceres à porta do meu apartamento no Porto sem avisar. Obrigada por todos os lanches e todos os jantares que tivemos juntos. Obrigada por todos os passeios que demos, aos mais diversos sítios. Obrigada por me teres dado a conhecer os Porcupine Tree - e outras bandas, mas principalmente esta - e por me teres apresentado ao universo do Senhor dos Anéis. Obrigada pelas maratonas de episódios de True Blood, pelos serões de filmes e de jogos na Wii e pelos momentos em que apenas nos aninhávamos um no outro, mesmo que não disséssemos nada. Obrigada por todas as conversas que tivemos. Obrigada por todos os outros programas que tivemos juntos. Obrigada por teres tido fé em mim e por me teres levantado nas piores alturas. Obrigada por me teres feito sentir a pessoa mais feliz e sortuda do mundo. Obrigada por todos os momentos, por todas as memórias que vou conservar para sempre. Obrigada pelo amigo que foste, pelo namorado que foste e pela pessoa que foste. E por aquilo que nós, juntos, fomos. Em suma, obrigada por tudo.
Infelizmente, o futuro nunca é como imaginamos. E, se há coisa que não conseguimos controlar, é o nosso coração. Mais concretamente, aquilo que sentimos.
Não penses que não me custou olhar para ti e ver a tua dor enquanto te dizia que o melhor seria seguirmos caminhos diferentes. Sabia que estava a partir-te o coração; não penses que isso não me custou. Não penses que também não sofri e que não me senti uma pessoa horrível ao dar-me conta do que estava a acontecer connosco. E, por favor, não penses que me vou esquecer de tudo o que vivemos durante todo este tempo e de todas as memórias que me proporcionaste.
Só espero, quando todo o teu sofrimento passar, que possamos ser os mesmos amigos que sempre fomos. Até lá, só quero que fiques bem. E que sejas feliz. Eu sei que vais conseguir.

6 comentários:

  1. É tão bom quando temos uma pessoa assim :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hmm, acho que não percebeste o objectivo deste post...

      Eliminar
  2. Não deve ter sido uma decisão fácil! Espero que estejas bem e ele também acabe por ficar.
    Qualquer coisa sabes onde me encontrar :)
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Oh... Não deve ter sido nada fácil tomar uma decisão dessas. Mas espero que estejam os dois bem, ou fiquem bem, e que possam ser os amigos que, de certa forma, sempre foram. Uma pessoa assim na nossa vida, não deixa de ser um tesouro.
    Força para os dois!! ****

    ResponderEliminar