10/03/2015

Um misto de emoções

Após praticamente três semanas de estágio - amanhã faz três semanas que comecei -, já me sinto cansada.
Ando cansada de entrar e sair todos os dias à mesma hora. Parece que pouco ou nada descanso durante a noite, e até os fins-de-semana não chegam para descansar. Quando é domingo à noite, penso que o dia seguinte é que devia ser domingo; e, à segunda-feira, já estou a dizer que nunca mais é sexta. Os dias são sempre muito repetitivos, o que também me cansa. Cansam-me igualmente os tempos mortos em que não há mesmo nada para fazer e em que me limito a esperar pela hora de sair. Até já andei fisicamente cansada, já que, na semana passada - em que fiz umas coisinhas diferentes por lá -, passei todo o dia em pé ou a andar de um lado para o outro e só me sentei para almoçar. E, todos os dias, chego cansada a casa. Fico sempre contente quando chega a hora de sair, mas sei que não vou fazer nada quando chegar a casa. Quer dizer, há sempre as coisas chatas do costume para fazer: fazer a cama, lavar a loiça do pequeno-almoço, limpar a areia do gato, ir comprar o pão para o dia seguinte, e etc. E é por causa destas coisas chatas que fico sem tempo para nada. As horas passam a voar e não consigo descansar nem pensar em nada nem aproveitar o tempo para fazer algo de que goste.
É verdade que tinha dito que preferia trabalhar a estudar por mais um ano que fosse, mas, se é para ser sempre assim, já nem sei o que é melhor. Não queria que isto fosse assim; aliás, não fazia ideia de que seria tão cansativo. Tenho saudades de ter tempo livre e de ter um horário em que num dia entrava e saía a determinada hora e noutro dia entrava e saía a outra hora qualquer. Pelo menos era mais variado e dava para se estabelecer um certo equilíbrio. Claro que era péssimo passar um fim-de-semana a estudar, por exemplo - disso não tenho saudades nenhumas -, mas, de qualquer das formas, pesando agora os prós e os contras, é o que digo: nem sei o que é melhor.
Está a ser cansativo também na medida em que já começa a fartar por ser tudo mais do mesmo todos os dias - pois, eu farto-me das coisas rapidamente. No início estava a achar uma certa piada porque era algo novo, e na semana passada também achei uma certa piada porque fiz coisas diferentes, mas agora voltei ao mesmo que no início. Isto e os tempos mortos matam-me, e é isto que faz com que esteja a ficar um pouco desiludida em relação ao estágio. Pensei que houvesse mais "acção", que não parasse quieta de um lado para o outro, que estivesse tão cheia de coisas para fazer que nem conseguisse respirar... Claro que não queria tanto trabalho até este ponto...mas, bem, sempre seria uma forma de passar os tempos mortos.
Uma das coisas que me desilude é precisamente a falta de trabalho. É que ainda por cima parece que estão à espera que eu e a minha colega peçamos coisas para fazer ou façamos sugestões de coisas que pudéssemos fazer. E eu acho que, a partir do momento em que uma instituição resolve aceitar estagiários, tem que saber o que fazer com eles. Não vamos ser nós - não devíamos, pelo menos - a dizer que queremos fazer isto ou aquilo. Nesse caso, então dizia que queria ir para casa, em vez de estar a olhar para as paredes à espera da hora de sair.
E, depois, ainda tenho que ouvir determinadas coisas. Por exemplo:
  • como estou no último ano, devia saber o que queria fazer - não necessariamente. Primeiro, nem sequer entrei na minha primeira opção, pelo que não estou propriamente a perseguir um objectivo; segundo, não posso saber o que quero ou não fazer sem nunca ter experimentado;
  • não estou a tirar partido do local de estágio porque não estou a fazer um trabalho de investigação e o local tem muitas oportunidades para isso e blablabla - bem, quando escolhi o local, a última coisa em que estava a pensar era na porcaria do trabalho do fim do curso. Para além disso, a partir do momento em que a faculdade nos dá a escolher entre um trabalho de investigação ou uma monografia, uma pessoa tem a hipótese de optar por aquilo com o qual se sente mais confortável. E eu, após pesar os prós e os contras de ambos os tipos de trabalho, optei, realmente, por aquele com que me sinto mais à vontade;
  • muita gente queria estar ali - pois que tivessem mexido os cordelinhos para irem lá parar. É caso para dizer: temos pena. O curso tem um estágio integrado e eu não tenho outro remédio a não ser fazê-lo. Que culpa tenho eu se não me dão coisas para fazer, se não tenho grande motivação e se não tenho interesse em trabalhos de investigação? Quero é acabar isto de uma vez.
Só não sei por que é que não me vêm à cabeça as coisas certas no momento certo. Quando ouvi aquilo, engoli e não soube o que responder, e só mais tarde pensei no que poderia ter dito para me tentar defender. É algo que me acontece tantas vezes.
Seja como for, não falei com ninguém acerca disto. Sinto uma certa vergonha. Porque tudo me parece uma maneira indirecta de dizer que não sei aproveitar as coisas, que vou ser péssima e que não mereço o canudo.
Por tudo isto, não sei se não voltarei a estudar quando tudo terminar. E, se assim for, que seja algo cujas perspectivas de futuro me seduzam.

6 comentários:

  1. No início é sempre muito cansativo: ainda vai demorar um tempinho a te habituares a um novo horário, a um novo ritmo e à rotina. Uns dias tens trabalho até ao tecto, no outro nada. O cansaço nesta fase é sempre muito, mas não é nada que o teu corpo não se habitue com o tempo.
    Quanto a ouvires "determinadas coisas", a vida de estagiário é mesmo assim: é engolir sapos e preparar a goela para o seguinte. É normal que as empresas queriam estagiários pro-activos, mas não se ficam por aí: têm que ser solícitos e gratuitos, e se não estiverem contentes, ala que se faz tarde, que estagiários é o que não falta. Em Portugal, é assim que são as coisas.
    Mas tudo se resolve. Bem diz a minha avó que "não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe". Pensa que são apenas 6 meses (acho que é assim, não é?). O meu é de dois anos e meio, mais coisa menos coisa.
    ****

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acaba lá para Julho; não chega a 6 meses. Mas, mesmo assim, parece tanto... --'

      Eliminar
  2. aaai, eu estou sempre a ler o quão cansativo um estágio é. não era suposto adorar-mos visto que estamos a estagiar para algo que queremos fazer? :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há sempre quem adore, mesmo sendo cansativo x)

      Eliminar
  3. Oh, fiquei um pouco triste ao ler este post... Talvez seja por estares no começo, talvez ganhes mais gosto e vontade com o passar do tempo. Eu pelo menos fico aqui a torcer para que isso aconteça!
    Beijinho*

    ResponderEliminar