11/10/2013

Memórias #2 - o primeiro concerto


Há precisamente dois anos atrás, estava eu a assistir pela primeira vez a um concerto a sério. Na terrinha não há disto, e esta é uma das razões pelas quais digo que vir para cá valeu a pena. Ainda por cima tive a sorte de este primeiro concerto ser de uma das bandas que mais me são queridas.
Nem sabia do dito concerto. As datas de concertos sempre me passaram ao lado, já que eu não teria oportunidade de ver nenhum por estar confinada àquele pedaço de terra no meio do Atlântico. E, quando cá cheguei, no primeiro ano numa nova universidade, estava mais preocupada em encontrar casa do que em saber que bandas viriam cá tocar. Foi então, na busca por uma casa, que vi o cartaz, numa rua que reconheço se por lá passar mas que cujo nome não faço a mais pequena ideia. Lá estava ele a anunciá-los. Within Temptation. Onze de Outubro.
Quis tanto ir. Mas, ao mesmo tempo, não estava com muita vontade de ir sozinha. As aulas começaram tarde nesse ano, pelo que o concerto foi na segunda semana de aulas ou coisa assim e eu não conhecia ninguém com quem pudesse ir, nem da minha turma, nem de fora da minha turma; era uma estranha numa cidade de estranhos. Claro que depois acabei por conhecer algumas pessoas e perguntei-lhes se alguma delas gostava da banda. Uma das raparigas disse-me que sim, mas não mostrou grande interesse em ir ao concerto, não sei se por causa do preço, da hora ou lá porque motivo foi. Disse-me, no entanto, que no dia seguinte, feriado - cinco de Outubro -, diria se iria ou não. 
O dia chegou, mas a mensagem da rapariga não. Mandei-lhe uma a perguntar se já tinha decidido, pois queria ir comprar o bilhete naquele dia, mas nada. Vim, depois, a saber que estava sem saldo - típico -, por isso não disse nada. Devia ter adivinhado, até porque não tinha manifestado muito interesse.
Lá saí de casa sozinha, rumo à Fnac de Santa Catarina. Estava um dia de sol e calor, e até me lembro daquilo que levava vestido - yup, eu lembro-me destas coisas, sabe-se lá porquê... Mas eu ia desanimada no metro, sentindo-me mais sozinha que nunca e farta de ser rejeitada. No entanto, assim que me vi com o bilhete na mão, toda aquela tristeza desapareceu. Senti-me como uma criança que acabara de receber um presente pelo qual ansiara há meses.
E, há precisamente dois anos atrás, lá estava eu, satisfeita como nunca e a divertir-me imenso sem a companhia de ninguém, a olhar para um palco pisado por uma banda que adoro, a ouvir ao vivo aquela voz que tanto admiro e a cantar a plenos pulmões músicas que me acompanham desde os meus quinze anos. Recordo-me como se fosse ontem. Uma noite mágica e inesquecível, da qual guardo excelentes memórias, um bilhete que conservo com carinho e esta bela foto que só me deixa nostálgica, a desejar mais uma noite como aquela, em que me senti tão bem, tão livre.


Um bilhete para um concerto pode não ter um preço assim tão acessível, mas os sentimentos que nos enchem a alma, enquanto estamos a assistir e assim que saímos do recinto, são impagáveis.

5 comentários:

  1. Ainda bem que foste mesmo sem companhia! :D
    Valeu bem a pena.

    ResponderEliminar
  2. Pois é, e não há nada que um bom concerto não faça ficar melhor (:

    ResponderEliminar
  3. Eu pensei imenso em ir a esse concertooo mas não como não tinha companhia fiquei por casa. Adoro within temptarion. Fizeste muito bem em ir sozinha ;D

    ResponderEliminar
  4. TAMBÉM FUIII!!! Mas em Lisboa! E apareço na foto de Lisboa. Que grande dia :)

    ResponderEliminar